Se você acredita nesta campanha, por favor faça sua contribuição

http://www.segundasemcarne.com.br/por-que-sem-carne/

Veja mais sobre Pelas Pessoas
Publicado em 23 de agosto de 2011

Mais saúde

Uma dieta sem carne diminiu em 30% a chance de desenvolver doenças coronarianas, em até 50% o risco de apresentar diabetes e em mais de 80% a incidência de câncer de cólon.1

Um cardápio sem carne tende a reduzir a ingestão excessiva de proteínas e gorduras saturadas que o brasileiro consome. Os substitutos da carne são os feijões, incluindo grão-de-bico, ervilha e lentilha. O seu uso aumenta a ingestão de fibras e diversos compostos protetores à saúde.

Leia mais sobre a composição de um prato vegetariano saudável no site de Sociedade Vegetariana Brasileira (www.svb.org.br).

Uma dieta sem carne favorece a prevenção de doenças crônicas degenerativas como doenças cardiovasculares, hipertensão arterial, colesterol elevado, diversos tipos de câncer e diabetes.

Por apresentar tantos benefícios, a sua adoção é estimulada pela Associação Dietética Americana (ADA) e Nutricionistas do Canadá e é incentivada por diversas entidades internacionais, como o American Institute for Cancer Research, American Heart Association, FDA (Food and Drug Administration), Universidade de Loma Linda, Departamento de Agricultura dos Estados Unidos e Clínica Mayo.

Veja também Nutrição Vegetariana


1. ADA

Pegada Social

Estudos recentes mostram que, no Brasil, 62% dos trabalhadores em situação análoga à escravidão se encontram em fazendas de pecuária.(1) O setor apresenta cifras semelhantes em relação à grilagem de terras (57%) e à violência no campo (72%). (2)

Mais da metade da produção mundial de alimentos é destinada à ração para animais de abate. (3). E a carne desses animais é acessível a uma pequena parcela da população humana. Se o consumo de carne fosse abolido, e as safras de grãos e hortaliças antes destinadas aos animais fossem repassadas para as pessoas, o problema da fome mundial estaria solucionado, a preços mais baixos e com menos impacto ambiental, social e para a saúde humana.


(1) ONG Repórter Brasil
(2) Comissão Pastoral da Terra
(3) FAO (2006)