Se você acredita nesta campanha, por favor faça sua contribuição

Pelo Planeta

Veja mais sobre Pelo Planeta

Para produzir carne para a população mundial, é preciso criar bilhões de animais que consomem água, comida e recursos energéticos, demandam espaço, produzem grande quantidade de excrementos, contaminam os mananciais, causam erosão e geram poluição atmosférica. A criação de animais para abate é uma forma ineficiente de produzir alimentos: para cada quilo de proteína animal são necessários de 3 a 15 kg de proteína vegetal (milho, soja e outros).

Pecuaristas vão ter de ‘entrar na linha’, adverte Minc

Veja mais sobre Pelo Planeta

Ele elogia boicote ao gado com origem em desmatamento recente. Ministro se defende de quem o critica por aparecer demais na mídia. Dennis Barbosa Do Globo Amazônia, em Brasília “A pecuária hoje é o maior agente de desmatamento da Amazônia e quero dizer aos que representam este setor que entrem  na linha ou vão se dar mal”, diz, em entrevista exclusiva ao  Globo Amazônia, o ministro do Meio ambiente, Carlos Minc. Ele fez o comentário a propósito do boicote de redes de supermercados à carne produzida no Pará, por  causa da suposta ligação do produto com o desmatamento da  floresta…
continue lendo »

Rótulos mostram aos suecos quanto carbono é liberado na produção dos alimentos

Veja mais sobre Pelo Planeta

Ao procurar aveia na prateleira do mercado, Helena Bergstrom, 37, admite ter ficado confusa com o rótulo em uma caixa azul do produto que dizia, “Impacto climático declarado: 0,87 kg CO2 por kg do produto”. “Mesmo agora, não sei o que aquilo significa”, confessa Bergstrom, funcionária de uma companhia farmacêutica. Mas se uma nova experiência feita aqui tiver sucesso, ela e milhões de outros suecos logo descobrirão o significado daquela informação. Novos rótulos indicando o nível de emissão de dióxido de carbono associado à produção de alimentos, das massas feitas com trigo integral aos sanduíches das lanchonetes do tipo fast…
continue lendo »